Oficina de Horta Urbana: do berçário a colheita
18 de junho de 2016
Cineclube francófono: L’enfer de Claude Chabrol
25 de junho de 2016
Mostrar todos

Exposição: Km 4 – Fernanda Fernandes

Quando:


Data: 15/06/2016 - 13/07/2016

Horário: Horário flexível

Sobre:


KM 4 – ÀS VEZES PERTENCEMOS A LUGARES DISTANTES

Visito lugares imaginados durante a pintura. Refletindo sobre a memória e a paisagem, aproprio-me de um imaginário pessoal de percepções espaciais no campo do devaneio para uma pintura de catarse. Os resultados são composições limítrofes entre a realidade e a abstração.

Na série Km 4, minha vista não encontra anteparo. Diante do mar, antes da tangente que limita o olhar, a altura dos meus olhos os permite um alcance distante do meu corpo, e eles percorrem os 4.371,84 metros revelados pelo cálculo matemático. A pintura proporciona uma aproximação dessa paisagem, a partir de exercícios de abstração ali plásticos.

Visuel 2

A exposição de Fernanda Fernandes conta com a participação especial de Alessandro Borsagli, idealizador do site Curral del Rey e autor do livro Rios Invisíveis da Metrópole Mineira que lançou há pouco tempo o seu livro Rios invisíveis. Alessandro apresenta na terceira folha das Alianças Vivas a sua interpretação, uma das várias possíveis, sobre a temática “água”, ligada à exposição de Fernanda.

Cartaz9

FERNANDA FERNANDES
Fernanda Fernandes nasceu em 1980, em Belo Horizonte, onde vive e trabalha. Estudou Artes Plásticas na Escola Quignard e Arquitetura e Urbanismo na PUC Minas. Sua pesquisa em arte é motivada por reflexões acerca do caráter transiente da matéria e da vulnerabilidade das existências. Há um impulso de captura no ato de pintar, desenhar e fotografar e de investigação da cor e suas plasticidades. Refletindo sobre a memória e a paisagem, apropria-se de um imaginário pessoal de percepções espaciais no campo do devaneio para uma pintura de catarse. Os resultados são composições limítrofes entre a realidade e a abstração.

ALESSANDRO BORSAGLI
Alessandro Borsagli é um pesquisador atuante nas áreas relacionadas ao espaço e paisagem urbana, com ênfase em geografia urbana, memória urbana e história das cidades, no aspecto relacionado ao processo de desenvolvimento urbano e requalificação do espaço.

A exposição faz parte do projeto Alianças vivas.
Abertura dia 15 de junho, 19h – Visitação até dia 13 de julho.


 

Interessado(a)? Fale conosco

Sua mensagem